Buscar

Por Adyashanti - Permita que seu sofrimento se expresse

Nosso sofrimento consistente de dois componentes: o componente mental e o componente emocional. Nós normalmente pensamos neles como dois aspectos separados, porém, quando nós estamos em estados profundos de sofrimento, nós nos tornamos tão sobrecarregados pela experiência das emoções que nós esquecemos e nos tornamos inconscientes da história que nossa mente está criando e mantendo. Então, um dos aspectos vitais para lidar com nosso sofrimento e transcendê-lo é primeiramente convocar a coragem e a disposição de verdadeiramente experienciar o que nós sentimos e não mais tentar modificar o que sentimos. Para realmente poder ficar com as nossas emoções mais profundas, nós precisamos parar de julgar o que quer que surja em nosso interior.

Eu convido você a reservar algum tempo -talvez meia hora- para simplesmente permitir o que quer que surja: permitir qualquer sentimento, emoção, sensação que surgir sem tentar evitar ou resolver. Simplesmente permita o que quer que esteja no interior se manifestar. Contate com o sentimento cinestésico, de o que a experiência é quando você não tenta evitá-la. Apenas experiencie a energia 'pura, raw', das emoções, sensações e sentimentos. Você pode notar algum tipo de tensão no corpo, no coração, na barriga. Veja se você consegue identificar aonde a tensão está no seu corpo -não apenas aonde está e emoção, mas as partes do seu corpo que estão rígidas. Pode ser o seu pescoço, seus ombros, suas costas. O sofrimento se manifesta como uma emoção, e também como tensões pelo corpo. O sofrimento também se manifesta como um tipo de pensamento circular. Assim que você identificar uma emoção em particular, tente percebe a voz que está por trás do sofrimento, a historinha, a narrativa. Para fazer isso, você não pode ficar fora do sofrimento, tentando explicar ou resolvê-lo; você tem que se aprofundar na dor, e até mesmo relaxar no sofrimento para você poder escutar o que está por trás dele.

Muitos de nós hesitamos de fazer isso, porque quando a voz da dor fala, é uma voz muito chocante. Pode ser viciante. Esse tipo de voz tem algo que a maioria das pessoas não quer acreditar que elas tem dentro delas, e mesmo assim é importante escutar para poder superar totalmente. É importante que a gente esteja aberto para todas as emoções e todos os pensamentos para experienciar a completa experiência de o que está ali.

Quando você notar algum tipo de sofrimento emocional, permita que sua mente se expresse. Ou tente falar até mesmo em voz alta. Algumas vezes sugiro as pessoas que escrevam o que a voz do sofrimento fala. E tente escrever o menos possível, para que cada sentença contenha o essencial. Por exemplo, a voz do sofrimento pode dizer algo como: ''Eu odeio o mundo!'' ''O mundo nunca é justo comigo!'' ''Eu nunca ganhei o que eu queria!'' ''Minha mãe nunca me deu o amor que eu precisava!'', e assim por diante. Frequentemente, essas coisas são armazenadas na sua cabeça, e se torna uma grande confusão. Então o primeiro passo é permitir que essa confusão se manifeste ou que escreva essa voz do sofrimento.

O que você está olhando é com o seu sofrimento, como a emoção que você está sentindo experiencia a vida, o que aconteceu, e como está vendo agora. Para fazer isso, você precisa entrar em contato com a história do sofrimento. É através da história que nós mantemos o sofrimento, então nós precisamos escrever essas histórias-até mesmo se as histórias parecem horríveis, julgadoras ou condenadoras. Se nós permitirmos que essas histórias convivam em nosso interior, no inconsciente, todas as emoções dolorosas irão continuar se regenerando.

Então agora reserve um momento para permitir que um pedaço de seu sofrimento diga sua história. Primeiro, o nome da emoção, e depois deixe se comunicar. O que essa emoção pensa de você? Dos outros? Dos amigos, dos familiares? O que odeia mais? Porque essa emoção aparece? O que está por trás das emoções? Deixe a emoção dizer a história toda.


Texto traduzido do livro Falling into grace, de Adyashanti.

72 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo