Buscar

Por Willy Mouna, Na iluminação, não há iluminado.

Não há saber no verdadeiro saber.

Não há saber que se sabe alguma coisa.

Não há saber que despertou.

Não há saber que se iluminou

Enquanto você acha que sabe de algo.

Ou enquanto acha que alcançou algo.

Ou enquanto você acha que alcançará algo.

Ainda está distante.

Ainda é uma ideia.

Ainda é ignorância.

Ainda é ilusão.

Um eu não existente que acredita ser existente e que chegou a algum lugar aparentemente existente mas que na realidade não existe.

Isso sim é ilusão.

Não há como saber que se iluminou se a iluminação é a dissolução de saber algo sobre si.

Da mesma forma que uma pessoa que é feliz nem sabe que é feliz.

Uma pessoa que se iluminou não se considera, não pensa, e não sabe.

Na realidade não existe pessoa se iluminar.

Não há tal pessoa que se ilumina.

Na iluminação, não há iluminado.

Acreditar em tal coisa seria ignorância.

A iluminação é iluminada. A luz é luz.

Ela é o que ela é.

Ela é o que é antes de ser qualquer outra coisa.

Ela é sem saber que é.

Saber de algo ainda é ignorância.

No verdadeiro saber, não há saber .

Na realidade, há saber, mas sem saber que se sabe.

Essa é a verdadeira sabedoria.

No verdadeiro saber.

Não há impressão e nem rastros.

O sol brilha, mas não sabe que brilha.

Ele é o que é.

A árvore é o que é.

A consicencia é o que é.

Ela não sabe. Ela é. Mas não sabe que é.

Enquanto você achar que está chegando a algum lugar, você está longe.

Enquanto você achar que chegou em algum lugar, você está longe.

Enquanto você tiver alguma ambissão espiritual, você está longe.

É apenas quando a caminhada e aquele que caminha cessa, é apenas quando você desiste daquele que persiste, é apenas quando você desiste até mesmo daquele que desiste, que você se encontra onde deveria estar, e onde jamais saiu.

Enquanto existir um eu na equação que acredita algo sobre si, seja bom ou ruim, iluminado ou não iluminado, ainda há ignorância.

Você acha que é? Saia dessa prisão.

Você acha que chegou? Saia dessa prisão.

Você acha que chegará? Saia dessa prisão.

Voce acha, qualquer coisa? Ignorância.

Na verdadeira iluminação, não há ciência disso.

Não importa. É irrelevante. É simples

É imediato. É agora. Jamais será. É agora.

É o que você sempre foi e sempre será.

Mas não há surpresa. Não há mudança.

É existir no puro existir.

É existir sem ter uma ideia que se existe.

Da mesma forma que o vento venta.

O verde é verde.

O transparente é transparente.

O Eu é o Eu, sem ideia sobre si, sem consciência sobre si.

O Eu é.

Não é você que é.

O Eu é.

Enquanto houver um, Eu acredito que Eu Sou, há ignorância.

O Eu é.

Você não é.

Você não existe.

O Eu é.

Não há Deus.

Deus é.

O É, É.

Compreendeu algo sobre essas palavras?

Então você ainda não entendeu.

Pois na verdadeira compreensão, aquele que compreende cessa.

Há apenas, talvez, um leve sorriso, um leve olhar, uma leve cócega. E até isso e demais.

Silêncio.

E meu amado amigo, saiba que, paradoxalmente, mesmo não havendo uma identidade separada, quando te chamarem pelo seu nome na rua, você irá olhar e dizer, "olá, me chamou?".

Esse paradoxo a mente jamais entenderá.


36 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo