Buscar

Por Rupert Spira, medo, dúvida e pessimismo são criações da falsa entidade.

O verdadeiro ser não precisa se identificar consigo mesmo para ser si mesmo. A identificação é sempre a identificação do verdadeiro ser (presença ou consciência) com um objeto, isso é, com o corpo.

Identificação significa ''ser um'' ou ser igual''. Auto-identificação significa ''aquilo com o que a consciência é identintica''

Na realidadde, apenas o EU é identitico a si mesmo, uno em si mesmo. Não existe nada presente que poderia ser identico. Não existem ''duas coisas''. É apenas um pensamento que parece se identificar com o verdadeiro ser, a presença consciente ou a consciência, com um fragmento, um corpo, portanto, parece se tornar uma entidade separada.

A presença consciente é o fato primário da nossa experiência. É nela que todas as experiências acontecem, e, em última instância, que todas as experiências são feitas.

Nessa consciência presença (e feita dessa consciência) uma sensaçao física aparece. Essa sensação é acompanha de um pensaento (que também aparece e é feito dessa presena) e o pensamento acontece, ''Eu, a consciência presente, é essa sensação física''.

Com esse pensamento, a consciência se identifica com uma sensação física, e como resultado, o ''Eu sou'' que é inerente se torna ''Eu so uesse corpo''. Porém, essa identificação com o corpo apenas parece existir. A consciência presente apenas parece se identificar com o corpo.

Depois de tudo, esse ''corpo'' que a consciência aparentemente se identificou, não é nada mais do que um pensamento, uma imagem, uma sensação aparecendo na consciência e feita de consciência. Portanto, não existe nada que esteja presente na aparente experi~encia do corpo, além dessa presença consciente, que a presença consiência poderia se identificar.

*     *    * 

Com essa aparente identificação da consciência com o corpo, uma nova entidade é criada. Essa nova entidade parece ser tanto consciente (por causa da consciênca) e limitada (por causa do corpo).

Como resultado dessa associação da consciÊncia com uma sensação limitada,a consciência parece ser limitada. Por outras palavras, a consciência parece tomar as propriedades das sensações do corpo (limitado) e o corpo parece tomar as propriedades da consciência (conhecer, experienciar, presença, i-ness, am-ness).

Dessa maneira, o verdadeiro ''Eu'', se torna exclusivamente misturado com o corpo e parece, como resultado disso, se tornar uma identidade pessoal que é dotada de consciência e ser. Se torna o conhecedor ''pessoal'', a identidade que sente, pensa, faz, o ''eu''.

Resumidamente, as qualidades impessoais e ilimitadas da presença consciente são apropriadas pela entidade separada ilusório e se torna o que nós normalmente chamamos de ''eu'', ou o ''eu pessoal''.

Esse eu pessoal, parece ter as todas as qualidades que a consciência possue. Por outras palavras, o eu pessoal que sente e pensa que é consciente e presente. Porém, o eu pesoal não é nada mais do que um pensamento que pensa.

*     *    * 

Dizendo tudo isso, vamos olhar novamente noa emoção de ser ''tirada da autoidentificaçaõ por auto sabotagem ou medo, dúvida, ou pensamentos negativos'.

Quem é o eu que é tirado da autoidentificação? A presença consciente, a consciência pura, o Eu nunca é tirado de nenhum lugar. Ele está sempre em si mesmo. Ele sempre conhece a si mesmo.

A presença consciente parece se tornar uma identidade pessoal quando vela sua verdadeira natureza de si mesma com a identificação exclusiva com o corpo. Essa aparente identificação é trazida pelo pensamento e é substanciado pelas sensações do corpo que parecem verificar a crença que a presença, é uma entidade pessoal.

Porém,essa entiade pessoal é apenas uma crença, uma interpretração qe é adicionado a uma sensação física. A presença nunca verdadeiramente se identifica ou se desidentifica com nada. Então tudo o que é necessário é a verdadeira compreensão ou visão clara.

O 'eu' individual nunca é tirado da autoidentificação, porque a auto identificaçao ''Eu'' não é existnete. Existe apenas o verdadeiro ''Eu'', o verdadeiro Self, a presença consciente ou a consciência pura, e é sempre ela mesma. Não existe nada além dela mesma. Ela é ''uma sem uma segunda''.

Veja claramente que não existe nada a ser transcendido e sem obstáculos para superar. Se o medo, dúvida ou pensamentos negativos aparecem, veja claramente que eles são baseados nas presunção que ''Eu'', consciência, é uma entidade limitada e pessoal.

Se é a entidade pessoal que tem medo, dúvida ou pessimista. Porém, assim que é visto calramente que nós não somos essa entidade separada, que ela é sem existência, que é apenas uma ideia qus surge no 'Eu' real, o que acontece com a dúvida, o medo ou o pessimismo? O medo, a dúvida e o pessimismo se prosperam na inadvertência.Eles não podem permanecer se forem vistos claramente.

A entidade fictícia se dissolve na luz clara da compreensão.


Texto traduzido de Rupert Spira.

https://non-duality.rupertspira.com/read/presence_only_knows_itself

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo