Buscar

Por Robert Adams, Egoísmo Espiritual e Ego espiritual

Seu trabalho é se tornar uma encarnação humana da compaixão divina. Isso erradica uma variedade de pecados, por assim dizer, karmas, pois você se torna altruísta e sagrado. Mas são tantas as pessoas que me abordam se perguntando por que elas não estão progredindo e felizes depois de muitos anos de trabalho espiritual. É porque a compaixão delas não é grande o bastante. Elas pensam demais em si mesmas. Leem todos aqueles livros, vão para todos aqueles retiros, seminários, mas continuam

egoístas. Elas continuam obcecadas com quem são e pensam em como conquistar uma pessoa, renome, fama, ou em como levar a melhor em relação ao vizinho a fim de obter sucesso. A humanidade delas não foi afetada. É tudo um conhecimento mental. Ao se tornar a testemunha, você passa a ser humilde. Como não há mais o "você" do egoísmo pessoal, surge uma grandiosa beleza. Você começa a provar os domínios superiores. E todos aqueles que aparecem na sua vida são mais uma oportunidade de lhe trazer alegria. Você não deve anunciar sua spiritualidade. Suas características espirituais. Suas afetações espirituais externas. Você está tão cheio de bondade amorosa que Deus transborda por você.

Você é brilhante e reluzente. Esta é a Realidade.

Tudo por dentro e por fora se torna uma testemunha múltipla da Perfeição Suprema. VOCÊ é essa Perfeição Suprema. Claro que não estou me referindo ao seu ser humano. Se você existisse nesta Realidade conscientemente, experimentalmente, não haveria outro '"'você" para dizer aos outros o que você é, para querer mostrar aos outros. È engraçado. Tantas pessoas me abordam para dizer que não saem mais, que ficam em casa, não se arrumam, não conversam com os outros, e que estão "despertando". Eu pergunto quanto

sadhana elas estão fazendo, e o que tudo aquillo tem a ver com isso.

A maioria delas não faz nada ou somente meia hora por dia. Elas entenderam tudo errado. Não é virtude se afastar, se tornar estranho, não falar com os outros e se isolar. Na verdade, quanto mais você se desabrocha, mais você ama os outros, transmite simpatia, desempenha seu papel com alegria e graça.

Passe algumas horas por semana aliviando o sofrimento dos outros. Alimente quem tem fome, visite os sem-teto, console quem está de luto. É importante. A maioria das pessoas

"'espirituais''" não gosta muito disso. (Risos.) Há muito egoísmo. Isso dilui o egoísmo. Aviva a santidade. Seus problemas enfraquecem.

No Ocidente, o serviço aos outros é um sadhana (prática espiritual).

Mantenha sua mente voltada para cima.


Então muitas pessoas me abordam dizendo que fazem várias práticas espirituais há anos. Elas leem seus currículos para mim, e acham que são mais "'avançadas" do que outras pessoas do mundo,

Mas algumas delas são as piores pessoas que você pode imaginar.

Você precisa integrar o seu Verdadeiro Eu o seu ser (humano) mais recôndito. Seu Verdadeiro Eu não foi a lugar algum, você que foi. Na sua consciência. Você se deslocou para outro cômodo, E está observando as paredes, a decoração, as pessoas que entram e saem, tendo esquecido a casa gigantesca da sua origem. As práticas espirituais fazem você se tornar ciente dessa casa. Mas você pode cair numa armadilha e achar que está progredindo por estar fazendo práticas espirituais.

Mas você não examinou seus maus hábitos e acha que a Graça vai vir da convivência com certos professores ou de alguma prática. Mas, ao não fazer essas práticas, você viola leis espirituais do jardim da infancia. Você não pode se formar sem ter completado o jardim da infancia. Sem examinar seus motivos, suas intenções.

Suas palavras. Suas ações. Elas refletem sua Verdadeira Natureza? Você entregou todas as vontades à Verdade? É então que vocè está pronto para receber a Graça. Ela chega em abundância. De repente, a graça é alegria. A dádiva de perceber de repente o Amor Supremo, Uma consciência de Deus. Por toda parte, em tudo. Os santos e sabios que estiveram imersos na Graça altruista, realizando supostos milagres, etc., Eles fizeram o dever de casa. E o primeiro deles è se tornar altruista, Isso o livra de muitos fardos. Esforgarse constantemente para ter um coração altruísta.


Portanto, se você acha que vai simplesmente olhar sua vida e dizer,

"«Tudo deveria ser assim, eu sou a Consciência", sem uma realização mais profunda, está se enganando. Você deve ser bem verdadeiro consigo mesmo. Não há outra maneira. Porque mais cedo ou mais tarde, depois de ler tantos livros, de ir a tantos retiros, de ter encontrado tantos professores, e talvez de ter tantos relacionamentos, sem se devotar a uma única pessoa, você sempre volta para si mesmo. Fica face a face consigo mesmo. E ao avançar, ao desabrochar na realização profunda, você tem compaixão por todos.


Você pode até mesmo encontrar muitas pessoas que estão se escondendo há bastante tempo, talvez estejam até ensinando, mas por dentro estão mais confusas e infelizes do que nunca. Elas continuam fazendo as mesmas coisas, zangando-se, fofocando, invejando, incomodando os outros. Mas revestem tudo de palavras espirituais. De discussões, debates, conhecimento mental. Talvez até vistam roupas espirituais, Roupas de professor ou guru. Mas por dentro continuam iguais. Isso não funciona.


Somente aqueles que se sentam em "Satsang(''' alcançam o objetivo final. Isso significa que você não precisa ler nem meditar formalmente, basta se sentar em Satsang"*, e assim as coisas começam a acontecer por conta própria. Automaticamente, você começa a se investigar, a se perguntar. E algo que acontece espontaneamente. Aqui temos um ponto importante. A maioria das pessoas lè livros" e vê o que os outros fizeram, mas não fazem nada daquilo por conta própria. Elas jamais investigam. Elas leem os livros, obtêm o conhecimento intelectual, o conhecimento mental. E têm uma boa memória, conseguem citar trechos, lembrar fraseologias, certos clichês, certos ditados, mas jamais têm a própria experiência. A experiência só acontece quando você tem total humildade. Quando você abdica do seu eu, do seu pequeno eu, quando você para de se preocupar com si mesmo. Pare de pensar tanto em si mesmo.


Você está aqui para aprender a compaixão. Observe-se sinceramente. Você tem o poder

de melhorar tudo na sua vida, absolutamente tudo. Agora. Vocês me ouviram falar daqueles que afirmam, "EU SOU a Consciência, EU SOU uma pessoa desperta, EU SOU puro amor e consciência", mas que não dão carona para os outros depois do satsang. Não levam os Outros até o mercado. Gritam com os outros no trânsito. Fofocam. Magoam os outros. Disseminam a negatividade. Eles não conseguem se dar ao trabalho de fazer algo pelo outro. E zombam das religiões das pessoas. Sentem-se arrogantes, superiores. Não há altruísmo, afetuosidade, compaixão. São meras palavras. Então, até você se posicionar acima de todas essas coisas, seu trabalho ainda nem começou. Você não

"Desperta" por dizer que Despertou.


Aluno: O quanto isso é importante para emancipação dos fenò-menos do corpo-mente?

Robert: É um requisito preliminar. Por quê? Porque você pode ler todos os livros e fazer coisas que o permitem tocar a Verdade, mas não consegue permanecer nela a não ser que seja uma pessoa boa. A não ser que tenha dominado os fundamentos. Você só se forma na universidade se tiver concluído o ensino médio. Seu eu humano precisa se tornar sagrado na pureza do amor. Todo apego a egoísmo, raiva, inveja, motivos ocultos, má vontade, todas essas coisas precisam ser transcendidas. Entregues. A Iluminação não é um assunto mental


Aluno: Se um aluno ainda faz essas coisas e também entoa cânticos, medita ou frequenta a igreja com regularidade, ele nãopode progredir mesmo assim?

Robert: Não. Porque você só consegue chegar até certo ponto, e depois você se encontra. Você precisa se perguntar, "Eu realmente aceito essas coisas ou estou apenas querendo me sentir bem por um tempo e aumentar meu ego com palavras decoradas?

Querendo acreditar que sou spiritual?" Mas se você realmente aceitasse o fato de que o Coração de Deus tudo enxerga, que existem leis kármicas, que suas ações estão impregnadas no seu ser, no equilibrio universal, você as faria mesmo assim? No seu coração, você não realizou essas Verdades, caso contrário você se indignaria naturalmente com más ações, pessoas tentando enganar os outros, fofocas, tudo isso, Portanto, pense na verdade do seu eu, do seu eu humano, e ascenda para o Eu em todos.


(Trechos retirados do livro do Robert Adams)


40 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo