Buscar

Por Adyashanti, A Armadilha da Relação amorosa. (A iluminação não é como pensamos)

Atualizado: 15 de abr.

Um dos avisos mais poderosos que minha professora me deu foi algo meio estranho. Ela me disse para ter cuidado, pois muitas pessoas no meu estágio do despertar vão encontrar alguém, se apaixonar, e ir viajar com essa pessoa como uma maneira de evitar a si mesmas. Naquele tempo eu pensei, ´´O que isso poderia significar? ´´, parecia algo longe e específico, não apenas encontrar alguém, mas se apaixonar e ir viajar com essa pessoa. Não parecia combinar com meu contexto.

Porém, quando menos eu esperava, quatro anos mais tarde, eu encontrei uma mulher. E era uma daquelas situações que era como um Velcro. Tudo o que estava dentro de mim de pegajoso, viciante ou não-saudável combinava perfeitramente ocm essa pessoa. Tudo o que ela tinha dentro dela que não era saudável combinava perfeitamente com o que não era saudável em mim. A relação foi formada baseada em padrões inconscientes.

Eu não vou lhe dizer toda a histrória, porém a parte curta é que nós viajamos juntos para outro continente, e essa relação, era de fato, incrivelmente difícil. A relação me desafiou em cada canto dentro de mim. Me puxou de maneiras que eu jamais acreditaria que poderia acontecer, e eu sofri de maneiras que jamais imaginaria sofrer.

A relação foi um desastre disfuncional, e eu me tornei um desastre emocional ao passar por ela. Em algum moento eu percebi que a situaçã oera insana. ´´O que eu estou fazendo aqui? Eu pensei, como eu entre inessa situação? E como eu vo usair dela?´´ Nesse moento eu comecei a realizar algo muito importante -que novamente eu entre iem uma situação onde não estava sendo verdadeiro comgio mesmo. Eu me permiti ser puxado por apegos, desejos, e eu não fui honesto sobre o que estava acontecendo, eu sabia a verdade dentro de mim.

Eu percebi que a maneira de sair dessa relação era começar a ser radicalmente verdadeiro comigo mesmo, e tomar total responsabilidade por onde eu tinha acabado. Eu percebi que eu não tinha apenas que abandoanr toda imagem que tinha sobre mim mesmo, porque qualqeur imagem -seja uma imagem boa, ou de alguém que ajuda, ou uma pessoa desperta ou sábia ou uma pessoa estúpida- era uma parte do que tinha me deixado inconsciente nessa situação.

A única maneira de sair da relação era começar a abandonar tudo o que me fez entrar nessa situaçaõ. O que tinha me feito enrtar nessa situaçaõ era as inúmeras maneiras que eu ainda me percebia no nível egóico. E a unica maneira era abandonar a pessoa que eu queria ser.

E como eu falei, eu não irei entrar em detalhes, porém no decorrer do processo, aconteceu uma disslução extraordinária do ego de uma maneira que jamais tinha experienciado. Não era uma dissolução da maneira quando você senta par meditar e o seu ser se dissolve em um lindo estado de presença. Era mais como se estivesse sendo arrancado de mim camadas, uma por uma. Foi um processo sem cerimônia. Não foi algo legal, bondoso, não foi algo fácil. Era como botar um espelho na frente da minha frente e fosse segurado na minha frente para que eu não pudesse desviar nem um por um segundo.

Esse foi indiscutivelmente um dos momentos mais difíceis da minha vida. No decorrer do processo, eu finalmente encontrei a disposição para abandonar tudo o que eu acreditava ser. Eu consegui abandonar qualqeur sensação de ser que surgia - seja uma sensação de ser maravihlosa ou horrorosa, seja um ser que ajuda ou um ser que não ajuda. Finalmente permitindo que a experiênncia me despertasse, me deixasse são, eu consegui soltar. A relação e o fim dela me afundou emocionalmente. eu me senti um trapo, como se toda sensação de ser alguém estivesse sido retirado de mim. Porém no decorre da experiência, eu comecei a perceber algo maravilhoso acontecendo, eu comecei a sentir uma sesnação de liberdadde que vem quando os condicionamentos karmicos são esprimidos do seu sistema.

Com o despertar que eu tive aos 25 anos, eu realizei que eu não era o corpo, a mente ou a personalidade, eu realizei que tudo isso era um sonho. porém, o que eu não tinha realizado era que por mais que você saiba que é um sonho, você ainda tem que lidar com ele. Se o corpo e a mente e a personalidade ainda estão em divisão, se ainda tem conflitos no seu sistema que não foram vistos, então vai ter uma força gravitacional te puxando novamente à inconsciente e ao sofrimento.

Eu vi que o que acontece no corpo e a na mente não podem ser evitados. Tudo tem que ser lidado -tudo. Tudo tem que ser olhado. Se o que eu realizei fosse ser incorporado, ser completamento vivido, então esse processo, por mais dificil que seja, foi um dos mais importantes da minha vida. Era como sair de um daqueles momentos de doença física que eu descrevi, depois que acabou, eu me senti como sendo ninguém e nada. E isso não era paenas no nível absoluto, não apenas no nivel do despertar, porém no nível do ser humano. Eu senti dentro de mim como era me sentir nada, ser nada, como um ser humano. E isso pode soar negativo, porém quando é totalmente vivido, é extraordinariamente positivo-humilde da maneira mais positiva.

Eu conto essa essa história porque todo mundo tem uam história. Todos nós temos maneiras em que a vida tenta botar um espelho na nossa frente, para espremer os condicionamentos de dentro de nós, espremer de dentro de nós o que nós estamso apegados, segurando, espremer todas nossas crenças e conceitos e auto-imagens.

Se nós estivermos dispostos a olhar, nós veremos que a nossa vida é sempre um processo de despertar. Se nós não estivermos em harmonia com a vida, então nós estamos trabalhando em oposição a ela, e isso é um caminho difícil, como a minha vida comprovou.

Quando nós não estarmos dispostos a olhar o que a vida está tentando nos mostrar, a intensidade irá aumentar cada vez mais até que nós estejamos dispostos a ver. Dessa maneira, a vida é a nossa maior aliada. É quase um cliche espiritual dizer que a vida é a nossa maior professora. Os estudantes concordam como se eles soubessem o que significa isso. Porém nós apenas sabemos o que significa isso quando nós passamos por isso, quando nós permitimos que a vida ponha esse espelho em nossa frente claramente.

Pensar que a iluminação apenas vem com experiências maravilhosas é se desiludir. Sim, tem aqueles casos onde um tem um despertar espontâneo, e ele não tem tantas tendencias karmicas para serem olhadas. Porém isso é raro, para a maioria de nós, o caminho para iluminação não é um mar de rosas. Nós precisamos aceitar isso, porque se não nós estaremos apenas nos prendendo a experiências que nós achamos boas, que suportam nossa imagem mental e idéia de como o despertar deve ser. Para a maioria das pessoas, o caminho do despertar tem que ser maaravilhoso, com momentos porfundos de realização. Porém, também é algo que requer coragem, e não é algo que a maioria de nós assinou quando nós dizemos que queremos a iluminação. A verrdade é que a maioria das pessoas não querem realmente acordar. Elas querem a versão delas do despertar. O que eles querem na realidade é ser felizes no estado de sonho. E isso é tudo bem, se é até aí que eles evoluiram.

Porém, o impulso real, sincero em direção a iluminação é algo que vai muito além do desejo de fazer nosso estado de osnhgo melhor. É um iimpulso de se permitir se sujeitar ao que for necessário para despertar. O impulso autêntico em direção ao despertar espiritual é como aquela oração pedindo pelo que quer que seja para nosso despertar ser completo, independente se for ser maravilhoso ou horroroso. É um impulso que não põe condições.

Esse impulso autêntico pode ser aterrorizador, porque quando você sente, você vê que é real. Quando você tem que abandonar todas os condicionamentos - quando você tem que abandonar o seu próprio desejo de como você quer que seja o despertar e como você quer que a jornada seja- você tem que abandonar qualquer ilusão de controle.

Eu não quero criar uma idéia de que o despertar tem qeu ser difícil. Até isso é uma ilusão, uma idéia. O despertar em si não é difícil, porém a transição do despertar inicial e instável para o despertar estável e maduro pede de nós mais do que podemos imaginar.

Na verdade, nós precisamos estar dispostos a perder nosso mundo. E por mais que isso possa soar romântico quando você escuta pela primeira vez ´´Ah sim! Eu quero me inscrever! Eu estou disposto a perder meu mundo!´´ Porém quando seu mundo começa a desmoronar, quando você começa a perceber estados de negação inimagináveis, é algo totalmente diferente. É algo que real e que requer coragem. É algo que as algumas pessoas estão dispostas e outra snão.

Nós não preciasmos ter uma imagem de o que será necessário para despertar -se será difícil ou fácil. Pode ser fácil, ou difícil. Pode ser fácil e difícil. Pode ser qualquer coisa que voCê imaginar, e pode ser muita mais coisas que você não imaginou. Isso é o perigo de dar ensinamentos, de eu falar histórias particulares de o que acontece no caminho. A mente pode pegar a história e acreditar, ´´ Ah sim! A vida tem que ser difícil para despertar, eu preciso passar por momentos difíceis´´. O que você tem que estar disposto é olhar para si mesmo e encarar sua propria incerteza. Porém quantos de nós estamos dispostos a se render, ao desconhecido, ao incontrolável?

Mais pessoas do que você imagina, eu encontro cada vez mais pessaos que estão dispostas a se engajar nessa jornada.

Isso não é uma jornada sobre se tornar alguém. É sobre parar de se tornar algo que não somos, sobre deixar de ser algo que não somos. No final, é irônico. Nós apenas chegamos onde nós empre estávamos, exceto que agora nós percebemos as coisas completamente diferentes. Nós realziamos que o céu que todo mundo está procurando é onde nós estamos.

É uma coisa você dizer que tudo é céu, que todos estão despertos, e que tudo é espirito. É verdade, como um sábio Zen disse muito tempo atrás, ´´Faz muito bem não saber das coisas´´.

O que é necessário, é ter uma completa honestidade. Tudo já é inerentemente completo, já é espirito. Nós já somos em nossa essência tudo o que sempre seremos. Porém, a pergunta é- nós sabemos? Nós realizamos? E se nós não realizamos, o que nos impede de perceber? E se nós realizamos, nós estamos vivendo? Está sendo incorporado? Está funcionando em nossas vidas?

E um dos passo mais importantes é entrar em concordância com nossa vida para que você não evite mais a si mesmo de maneira nenhuma. E a coisa maravilhosa sobre isso, sobre parar de se evitar é que nós encontramos uma enorme energia, uma grande capacidade para clareza e sabedoria, e nós começamos a ver tudo como nós devemos ver.


Traduzido por Willy.

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo