Buscar

Hsin Hsin Ming – Versos sobre a Fé na Mente

Hsin Hsin Ming – Versos sobre a Fé na Mente

atribuido a Jianzhi Sengcan (鑑智僧璨 – Kanchi Sôsan Daioshô)

3º ancestral da linhagem chinesa

falecido em 606


O Grande Caminho não é difícil

Para aqueles que não têm preferências.

Quando o amor e o ódio estão ambos ausentes

Tudo se torna claro e sincero.


Fazendo-se a menor distinção entretanto

O céu e a terra são colocados infinitamente distantes.

Se queres ver a verdade,

Então não tenha opiniões a favor ou contra coisa alguma.

Quando o profundo significado das coisas não é compreendido

A essencial paz da mente é perturbada inutilmente.


O Caminho é perfeito como o vasto espaço

Onde nada falta e nada está em excesso.

Na verdade, é devido à nossa opção em aceitar ou rejeitar

Que não vemos a verdadeira natureza das coisas.


Não vivas enredado pelas coisas externas,

Nem preso às sensações interiores de vazio.

Seja sereno na unidade de todas as coisas

E tais idéias errôneas irão desaparecer por si mesmas.


Quando tentas parar a atividade para alcançar a passividade,

O teu próprio esforço irá te devolver à atividade.

Enquanto permaneceres num extremo ou no outro

Nunca conhecerás a Unidade.


Aqueles que não vivem no Caminho Único

Falham tanto na atividade quanto na passividade,

Tanto na afirmação quanto na negação.


Negar a realidade das coisas é perder sua realidade.

Afirmar o vazio das coisas é perder sua realidade.

Quanto mais falares e pensares sobre isso,

Mais te desviarás para longe da verdade.

Pare de falar e de pensar,

E nada haverá que não possas conhecer.


Retornar à raiz é encontrar o significado,

Mas perseguir as aparências é perder a fonte.

No momento da iluminação interior

Há um caminho além da aparência e do vazio.


Às mudanças que parecem ocorrer no mundo vazio

Chamamos de reais somente porque somos ignorantes.

Não busques a verdade;

Apenas deixe de acalentar opiniões.


Não permaneças no estado dualístico;

Evite cuidadosamente tais investidas.

Se houver, mesmo que seja um traço,

Disto ou daquilo, do certo e do errado,

A essência da Mente se perderá na confusão.

Muito embora todas as dualidades provenham do Um,

Não fiques apegado a este Um.

Quando a mente existe impertubável no caminho,

Nada no mundo pode ofender,

E quando uma coisa não pode mais ofender,

Ela cessa de existir no velho modo.


Quando não surgem mais pensamentos discriminatórios,

A velha mente cessa de existir.

Quando os objetos do pensamento desaparecem,

O motivo do pensamento desaparece;

Assim, quando a mente desaparece, os objetos desaparecem


As coisas são objetos devido ao sujeito (mente):

A mente (sujeito) é assim devido às coisas (objeto).

Compreenda a relatividade de ambos

E a realidade básica: a unidade do Vazio.


Neste Vazio os dois são indistinguíveis

E cada um contém em si mesmo todo o mundo.

Se não discriminares o áspero do fino

Não serás tentado ao preconceito e à opinião.


Viver no Grande Caminho não é fácil nem difícil,

Mas aqueles com visões limitadas são temerosos e irresolutos;

Quanto mais se apressam, mais devagar eles vão,

E o apego não pode ser limitado;

Mesmo o apego à idéia de iluminação é andar sem rumo.


Deixe que as coisas sigam o seu próprio caminho

E não haverá mais o vir ou o ir.

Obedeça à natureza das coisas (tua própria natureza),

E caminharás livremente sem seres perturbado.


Quando o pensamento está escravizado, a verdade está oculta,

Pois tudo é indistinto e nada está claro

E a cansativa prática de julgar traz aborrecimento e cansaço.

Que benefício pode nos trazer a distinção e a separação?


Se queres te movimentar no Caminho Único

Não desgostes nem mesmo do mundo dos sentidos e das idéias.

Na verdade, aceitá-lo plenamente

É identificar-se com a verdadeira Iluminação.

O homem sábio não se esforça para alcançar qualquer meta,

Mas o homem tolo é escravo e ele mesmo se escraviza.


Há somente um darma, uma verdade, uma lei e não muitas.

As distinções surgem das aferradas necessidades do ignorante.

Buscar a Mente com a mente que discrimina é o maior de todos os erros.


O repouso e a intranquilidade derivam da ilusão;

Com a Iluminação não há o gostar e o desgostar.

Todas as dualidades surgem da dedução ignorante.

Elas são como sonhos ou flores no ar,

É tolice tentar capturá-las

O ganho e a perda, o certo e o errado:

Tais pensamentos têm que ser abolidos completamente.


Se o olho nunca dorme, todos os sonhos naturalmente cessarão.

Se a mente não fizer qualquer discriminação,

As dez mil coisas são o que elas são, uma única essência.


Compreender o mistério desta Única Essência

É ser liberado de todas as malhas a que estamos presos.

Quando todas as coisas são vistas igualmente

Alcançamos a atemporal Auto-essência.

Não são mais possíveis comparações ou analogias

Neste estado em que não há nem causas nem relações.


Considere o movimento estacionário e o estacionário em movimento

E ambos, o movimento e o repouso, desaparecerão.

Quando tais dualidades deixam de existir

A Unidade em si mesma não pode existir.

A esta finalidade última, nenhuma lei ou descrição pode ser aplicada.


Para a mente unificada de acordo com o Caminho

Cessam todos os esforços autocentrados.

As dúvidas e irresoluções desaparecem

E a vida na verdadeira fé é possível.

Com um simples golpe estamos livres da escravidão;

Nada nos prende e nós não nos prendemos à nada.


Tudo é vazio, claro, auto-iluminante,

Sem qualquer esforço do poder da mente.

Aqui o pensamento, o sentimento, o conhecimento e a imaginação

Não têm qualquer valor.

Neste mundo da Essencialidade

Não há nem ser nem outra coisa que seja o não-ser.

Para entrar diretamente em harmonia com esta realidade

Diga simplesmente quando a dúvida surgir: “ não dois”.

Neste “ não dois” nada é separado, nada é excluído.

Não importa quando ou onde,

A Iluminação significa entrar nesta verdade.

E esta verdade está além do aumento ou diminuição no tempo e no espaço;

Num simples pensamento estão dez mil anos.


O Vazio aqui, o Vazio lá,

Mas o universo infinito permanece sempre diante dos teus olhos.

Infinitamente grande e infinitamente pequeno;

Sem diferença, pois a definições desaparecem

E nenhum limite é visto.

Isso também ocorre com o Ser e o não-Ser.

Não perca tempo com dúvidas e argumentos que nada têm que ver com isso.


Uma coisa, todas as coisas;

Movem-se e se mesclam sem distinção.

Viver nesta realização

É não ter ansiedade acerca da não-perfeição

Viver nesta fé é a estrada para a não-dualidade,

Porque o não-dual é uno com a mente confiante.


Palavras!

O Caminho está além da linguagem,

Pois nele não há nem o ontem, nem o amanhã, nem o hoje.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo